Um especialista em atenção plena revela 7 qualidades atitudinais essenciais para uma vida pacífica e produtiva

Qual é o segredo para se sentir calmo e focado?

Não é uma pergunta fácil de responder.



Então, por que os monges budistas parecem estar em paz e presentes o tempo todo?

Como eles fazem isso? Eles sabem algum segredo escondido que você não?

Na verdade, sim, eles fazem!

Por milhares de anos, os monges budistas têm praticado a arte da 'atenção plena' para reduzir o estresse e viva no momento presente .



Se você não sabe, a atenção plena envolve simplesmente focar sua atenção no momento presente com uma atitude sem julgamento e compassiva.

Então, como podemos aprender a praticar a atenção plena?



Bem, quem melhor para perguntar do que o professor Jon Kabat-Zinn, a pessoa que trouxe os ensinamentos da atenção plena do leste para o oeste?

Em seu livro, Vida em plena catástrofe: usando a sabedoria de seu corpo e mente para enfrentar o estresse, a dor e a doença, ele explicou as sete qualidades atitudinais essenciais para uma vida consciente.

Nós os examinamos abaixo e explicamos por que eles podem ser tão poderosos para implementar em sua vida diária.

1) Não julgue

Quando você pensa sobre isso, os julgamentos influenciam tudo o que vivenciamos. Muitos de nossos julgamentos são condicionados e nos aprisionam em nosso estreito túnel de realidade. No entanto, se adotarmos a atitude de não julgar, sairemos de nossos próprios padrões de pensamento condicionado e veremos a vida como ela realmente é.

Este é um tipo de consciência que envolve todas as perspectivas e sustenta opiniões levianamente. Isso nos permite deixar ir totalmente e nos envolver no momento presente.



2) Aceitação

A aceitação não é passiva, mas sim um reconhecimento ativo de que as coisas são como são. A resistência ao modo como as coisas são causa grande sofrimento mental e emocional. Quando uma emoção negativa surge em seu caminho, você não precisa resistir. Apenas reconheça que está lá e trate-o sem julgamento. É apenas a partir da aceitação que a transformação pode começar.

3) Paciência

Na vida moderna, muitos de nós estão com pressa. As pessoas estão com tanta pressa para chegar ao próximo objetivo que se esquecem de aproveitar o momento presente.

O mestre zen Thich Nhat Hanh disse 'se você não gosta de lavar os pratos, não vai gostar do que está ansioso para fazer mais tarde'.



Olhar para o futuro se torna um hábito predominante na vida das pessoas, o que prejudica sua capacidade de aproveitar o momento presente. Isso também significa manter a calma quando algo não vai do seu jeito.

4) Não se esforçando

O ensinamento mais profundo e profundo da meditação é apenas Ser. Não há necessidade de controlar, manipular ou mudar as coisas. Apenas siga o fluxo do momento presente. Como diz Lao Tzu: “Não faço nada e tudo é feito”. É uma forma de agir sem tentar agir. A ação acontece por si mesma, espontaneamente - ao invés de ser planejada.

5) Gratidão

Em vez de reclamar e ficar imaginando como seria a vida se tivéssemos uma certa coisa, isso envolve valorizar o que temos agora. Aproveite o momento presente com um sentimento de humildade e deleite. Concentre-se nos aspectos positivos da vida.

6) Deixando ir

Cultivar a atitude de desapego, ou desapego, é fundamental para a prática da atenção plena. A tendência de querer apegar-se ao que é agradável em nossa experiência e rejeitar o que é desagradável costuma ser uma resposta automática, às vezes conhecida como piloto automático. Ser solicitado a não se apegar nem rejeitar a experiência é um princípio desafiador que pode oferecer inúmeros benefícios em nossa vida.

7) Mente de iniciante

Muitas vezes, permitimos que nosso pensamento e nossas crenças sobre o que ‘sabemos’ nos impeçam de ver as coisas como realmente são. Abordar cada meditação como se fosse sua primeira vez, construir a partir 'do solo' a partir do corpo, entrar em contato com a respiração, perguntar a si mesmo 'o que realmente está acontecendo agora' são marcas da mente de iniciante.